Salaam, Ça Va!

BEM VINDO aquele que vem colaborar. Discutir, propor, meter o nariz onde - por culpa minha - não foi chamado.

quarta-feira, 5 de março de 2008

30 dias que abalaram a América Latina?! (Parte 2)

...este é um dos motivos pelos quais vários analistas dizem que o programa de incentivo do endurecimento da Direita na América como um todo teve seu nascimento. O plano era despachar a ameaça comunista das terras latinas. As coisas ficam mais óbvias ainda quando um presidente latino americano decide condecorar Ernesto el Che Guevara por seus bravos feitos. Simplesmente não dá pra engolir algo assim, é a óptica americana sobre o tema. 30 anos se passaram e muitos governos militares, algumas grandes batalhas não declaradas entre URSS e Estados Unidos e explosões de descontentamento mudaram a Ordem Mundial. Estamos em 1991. Cai o último marco soviético: a Rússia é aceita na OTAN (Organização dos Tratados do Atlântico Norte), o que põe fim a versão militarizada da bipolarização política característica da Guerra Fria. A esquerda fica orfã? Nada disso...a referência da Mãe Rússia pode ter caído, mas ainda temos a prima Cuba e a tia distante China. E ai temos um leve descompasso. Bem, é lógico, ideologia não alimenta ninguém. No plano ideológico, o discurso de Fidel permanece impecável. Mas uma mudança as relações econômicas estão acontecendo...Cuba agora aprende com a China a ser 'Capitalista de Estado'. O produto vendido por Cuba é a própria Cuba! E você me pergunta: 'E daí?! O Brasil também se vende...' mas existe uma diferençazinha básica entre nós e eles: Nós não estamos em um embargo econômico desde 1962! Ou seja, se um hotel quer ter um pacote de batatas fritas americanas aqui, não precisa contrabandeá-las nem pagar quatro vezes mais. Se luxo é caro, luxo com embargo econômico é mucho más.
E, é lógico! Estamos esquecendo do maior ícone de todos! El Che! A segunda imagem mais difundida na América Latina, só perdendo pra Jesus Cristo (mas esse não conta, chegou aqui antes, tem o privilégio do tempo). Korda, o autor da imagem mais famosa de Che doou os direitos de uso e difusão para a Revolução. Ou seja, cada vez que alguém reproduz legitimamente a imagem, paga um pouquinho (perdão não por os números, não são informados) para Cuba. E você me diz 'é um paradoxo...Che um socialista rendendo dinheiro!' hora nenhuma ele se disse socialista. Era um humanista, isso sim. Ele lutava contra opressão e e injustiças (quase como o He-man) e pegava em armas se necessário (quase como He-man) e tinha um carisma impressionante (nada como He-man, que era uma tábua rasa). O fato é que o dia 19 de fevereiro (dia da renúncia de Fidel) não marca o fim de uma utopia atrasada e caduca, como a nossa querida imprensa quis frisar. Ao meu ver, é um passo grande rumo a uma mudança da cara do Caribe, uma mudança cujas forças vêm acumulando-se há um bom tempo; sem muito estardalhaço e, quase incoerentemente, sem morte criou-se um mártir.

Um comentário:

_Fo|\|tes_ disse...

Meu caro binoca... eu notei que voce meio que rasga uma seda pro lado do mais que conhecido Che, porém outro dia eu andei lendo na Veja ou Superinteressante (nao sei ao certo) que essa imagem de humanista e do Che bom carater e de reputaçao intocavel eh um embuste. O que voce me diz? a publicaçao onde desceram a lenha no Che está correta? e nao me venha dizer que a reportagem foi comprada ou coisa do tipo :P abraçao!